Conheça os 9 países que mais praticam o veganismo

Países que praticam o veganismo

Com a evolução da medicina e a difusão do conhecimento sobre uma boa alimentação, muitas pessoas têm optado por um estilo de vida saudável e que leve em consideração alguns princípios, por exemplo, evitar o consumo de nenhum tipo de produto de origem animal, ou seja, praticam o veganismo.

Essa prática tem se tornado cada vez mais comum e muitos países já são considerados como veganos, devido ao número de pessoas que adotaram esse padrão de alimentação. Na verdade, o conceito do veganismo vai muito além dos alimentos, pois busca incentivar a preservação de todos os animais.

Contudo, muitas pessoas podem ficam em dúvida quanto o fornecimento de nutrientes necessários para manter uma dieta diária suficiente as funções vitais do organismo. Mas vele lembrar que existe alimentos de origem animal que podem ser facilmente substituído e garantir esse suprimento de energia.

Dessa forma, se você deseja se informar sobre essa nova prática de alimentação e conhecer quais são os 9 países que já praticam o veganismo como uma filosofia de vida, continue acompanhando esse artigo e confira todas as dicas para, quem sabe, se tornar um adepto futuramente.

Como as pessoas praticam o veganismo e onde ele está mais presente?

Países que praticam o veganismo
Imagem de stokpic por Pixabay

Há quem não abra mão de um churrasco aos finais de semana, regado a muita carne, queijo e cerveja, não é mesmo? Contudo, por outro lado, existem pessoas que procuram manter uma alimentação mais regrada e substituir o consumo da carne e outros produtos de origem animal, que são aqueles que praticam o veganismo.

Esse conceito já existem há algum tempo, mas ganhou força e adeptos nos últimos anos, justamente por motivar as pessoas a adotarem uma postura ética em relação a exploração dos animais, ou seja, evitar consumir qualquer produto que tenha esse vínculo, seja nos alimentos ou produtos testados.

Em um primeiro momento, muitos podem confundir o vegetariano com o vegano. Para esclarecer essa dúvida, é só lembrar que o vegetarianismo não se alimenta apenas de carne, mas continua se alimentando dos derivados (ovo e laticínios). Já o vaganismo tem um ideal mais restrito, evitando consumir qualquer produto oriundo do sacrifício ou exploração animal.

Ainda, vale lembrar de que os motivos para que uma pessoa se torne vegana também podem estar associados com problemas de saúde e questões religiosas. Então, antes de julgar a escolha de uma pessoa por esse estilo de vida é importante refletir as justificativas pelas quais ela optou essa prática.

Assim, com o crescimento desse mercado e o surgimento de produtos, estabelecimentos e serviços voltados para esse tipo de público, o interesse por experimentar essa escolha se tornou muito maior, tão maior que alguns países já recebem o título como países veganos, por exemplo:

espanha - vegana
Imagem de M W por Pixabay
  • Espanha: mesmo sendo vistos como consumidores assíduos de carne na Europa, o cenário atual indica mudanças. Muitos espanhóis adotaram a prática de uma alimentação sem carne e derivados, fazendo com que o mercado nesse ramo aumentasse de forma significativa, bem como os adeptos.
  • Reino Unido: as estatísticas mostram que de 8 britânicos um adota o veganismo ou vegetarianismo como hábito alimentar e isso se mostra em maior número entre jovens de 16 a 24 anos.
  • Suécia: o país já tem cerca de 10% de sua população adepta a essas diretrizes de alimentação.
  • Israel: 4% da população total do país tem diretrizes voltadas para o veganismo, o que dá o título de maior capital vegana do mundo.
  • Índia: a cidade de Palitana foi o primeiro lugar do mundo a proibir a morte de animais para consumo, bem como a venda dos produtos que são derivados.
  • Alemanha: com a demanda popular cada vez mais crescente, as redes de lojas voltadas para o público vegano, cerca de 7 milhões de adeptos vêm ganhando espaço.
  • Canadá: os números indicam uma queda vertiginosa no consumo de carne no país, quase 10% no consumo de carne.
  • EUA: apesar de ser famoso pelo fast-food, o país verificou que 36% da sua população busca por alternativas à carne, o que fez com que as empresas investissem milhões nesse novo mercado vegano.
  • Nova Zelândia: movido pelos princípios de ter uma melhor saúde, evitar a degradação ambiental e poupar o sofrimento animal, a população vem mudando os seus hábitos alimentares.
Comiga vegan
Imagem de silviarita por Pixabay

Como se pode observar, os países que praticam o veganismo vêm se adaptando aos poucos para esse novo público que cresce a cada ano e o mercado também busca acompanhar a demanda, oferecendo melhores opções de alimentos, refeições, restaurantes e produtos que atendam às necessidades de uma alimentação equilibrada e saudável.